Santo Estanislau de Jesus e Maria Papczyński
English Polski Deutsch Español Françias Italiano Português

Carta do Superior Geral

Roma, 9 de dezembro de 2006
N. 232/2006

Aos Padres Superiores e Reitores de Residências das Comunidades da Congregação dos Padres Marianos no mundo inteiro.

Gentilmente peço que seja publicamente lida aos coirmãos a Carta Circular anexa no dia 1 ou 2 de janeiro de 2007 ou em outra ocasião propícia para a comunidade nos primeiros dias de janeiro de 2007. Igualmente solicito cordialmente aos Padres Superiores o seu empenho no sentido de que em suas comunidades seja realizado o programa de preparativos para a beatificação do nosso Fundador, Servo de Deus Padre Estanislau Papczyński.

Com a expressão dos meus agradecimentos e as minhas cordiais saudações.

Jan M. Rokosz, M.I.C.
Superior Geral

Roma, 8 de dezembro de 2006
N. 231/2006

Carta Circular
Iniciando o Ano de Oração
Pela Beatifição do Padre Estanislau Papczyński
e Dos Preparativos da Congregação Dos Padres Marianos
Para a Beatificação do Seu Fundador

Caros Coirmãos:

1. A decisão positiva da Reunião Plenária da Congregação dos Santos do dia 14 de novembro de 2006, para a apreciação do milagre por intercessão do nosso Fundador, Padre Estanislau Papczynski, infunde em nós a grande esperança da sua breve beatificação, tanto por nós esperada. Há quase 300 anos o Servo de Deus Padre Casimiro Wyszynski escrevia: Visto que o nosso Venerável Padre Fundador é inegavelmente santo, é preciso quanto antes cuidar do seu processo de beatificação. O Padre Casimiro estava tão profundamente convencido da necessidade de beatificação do Pe. E. Papczynski que numa profética inspiração exclamava: Quando mal começamos a nos empenhar pela beatificação do nosso Pai, Deus tanto nos abençoa que é preciso ir adiante, e teremos mais ainda.

2. A história mostra que quando a Congregação se preocupava com a pessoa do Fundador e se empenhava pela sua beatificação alcançava a bênção divina. Hoje a esperança de beatificação do nosso Fundador é maior que em qualquer outra ocasião anterior. Também nós gostaríamos de haurir dessa abundante fonte de bênção divina. Nós o faremos, sobretudo, unindo-nos em oração pela graça da breve beatificação do nosso Fundador, bem como pela preparação espiritual para esse acontecimento. A beatificação, quando quer que ela ocorra, será proveitosa apenas quando permitirmos que esse mesmo poder da santidade de Cristo que podemos ver na vida do nosso Fundador se manifeste também em nossa vida e faça de nós fiéis testemunhas de Cristo e do Evangelho no mundo de hoje.

3. Por isso faço um veemente convite a todo mariano e a todas as comunidades marianas no mundo a uma intensiva oração pela breve beatificação do Padre Fundador e a uma reflexão a respeito do seu caminho de fé e da herança que ele deixou a nós, seus filhos espirituais. Recomendo que, a partir do dia 1 de janeiro de 2007, no decorrer dos 12 meses seguintes em todas as comunidades marianas no mundo seja realizado o programa de preparação espiritual para a beatificação do Padre Fundador, elaborado pela Comissão de Beatificação. Peço a todos os coirmãos, especialmente aos superiores, que dediquem atenção às seguintes práticas:

a) Dias mensais de recolhimento – vigília de oração aliada à adoração do Santíssimo Sacramento, com a utilização dos textos bíblicos, documentos da Igreja a respeito da vida consagrada, bem como escritos do Padre Estanislau Papczynski. Durante as refeições, nos dias de recolhimento, peço que seja feita a leitura da biografia do Padre Fundador ou de textos a esse respeito. Trata-se de todos os dias, no decorrer do ano inteiro, algumas comunidades marianas no mundo, unidas em comunhão espiritual, rezarem pela graça da beatificação do nosso Fundador, pela boa preparação para ela e, finalmente e sobretudo, pela sua frutuosa vivência. Em determinado dia do mês, cada casa religiosa terá o seu “plantão de oração”. Tenho consciência de que podem surgir situações que exijam a realização do dia de recolhimento numa outra ocasião. Pediria, no entanto, que não fossem deixados de lado os textos previstos para determinado mês.

b) Antes da refeição comum, leitura diária de breves textos do Padre Estanislau Papczynski a respeito da vida religiosa dirigidos aos marianos. Prestemos atenção às palavras do Padre Fundador, que estará falando a nós tanto durante a leitura comum à mesa como durante a meditação pessoal.

c) Leitura espiritual com a utilização dos materiais acessíveis a respeito do nosso Fundador, nossa espiritualidade e história, especialmente dos textos do Servo de Deus Casimiro Wyszynski, reformador da Congregação, e do Bem-Aventurado Jorge Matulewicz-Matulaitis, renovador da obra do Padre E. Papczynski.

5. Cada mariano e cada comunidade receberão em breve, no máximo até o final de janeiro do próximo ano, uma coleção de materiais em forma de livro com o título Para não permanecerdes inativos na vinha do Senhor, para ser utilizada no ano de preparação para a beatificação. Nessa publicação haverá materiais para os dias mensais de recolhimento e uma seleção de pensamentos do Padre Papczynski sobre a vida religiosa, a respeito dos quais falei anteriormente. Essa publicação foi preparada pelo Pe. A. Pakula em cooperação com a Comissão de Beatificação, que com muita dedicação e competência ele preside. Ao Pe. A. Pakula e a todos os membros da Comissão, que representam comunidades marianas do mundo inteiro, transmito os meus cordiais agradecimentos. É com profunda alegria e gratidão que vejo o engajamento e o trabalho criativo deles.

6. Antes que os coirmãos recebam esse livro, juntamente com a presente carta envio os materiais para o dia de recolhimento e leitura à mesa para o mês de janeiro, para que em todas as comunidades do mundo possamos iniciar a oração e a reflexão no início do novo ano. Esses materiais, escritos do Padre Papczynski e outros textos a seu respeito, em breve estarão acessíveis na página da internet.

7. Confio que a realização desse programa contribuirá não apenas para a nossa boa preparação para o evento da beatificação, mas também renovará e animará a graça da nossa vocação religiosa e mariana. A santidade do nosso Fundador não é tanto para nós um motivo de orgulho quanto de apelo a uma conversão pessoal, ao encontro das fontes do nosso carisma e a trilhar com passo firme o caminho estreito que conduz à vida eterna. Acredito que essa nossa obra comum de oração e de reflexão aprofundará igualmente a unidade dos marianos em todo o mundo, transformando-nos num sinal visível a serviço de Cristo e da Igreja, sob a direção de nossa Mãe Imaculada, Maria.

Jan M. Rokosz, M.I.C.
Superior Geral